• Da Vinícola

Vinhos Catarinenses: o que você precisa saber


Há 20 anos a Serra Catarinense e o Planalto Serranao têm sido protagonistas dentro do Estado na produção de vinhos finos. Anos de pesquisa e investimento precederam essa iniciativa que hoje se tornou destaque em território nacional quando o assunto é produção de vinhos de qualidade.


Os vinhedos daqui estão no alto, entre 900 e 1400m de altitude, o que lhes garante temperaturas mais amenas, benéficas para o amadurecimento lento e completo das uvas.


A produção dos vinhos em temperaturas mais amenas, lhes compete uma acidez um pouco mais elevada que outros terroirs. Também se nota uma mneiralidade mais acentuada, o que na prática nos dá uma boca de "quero mais". A amplitude térmica média de 13 graus Celcius ajuda no acúmulo de cor na fruta e concentração dos compostos da uva.


Outro fator climático benéfico da Serra Catarinense é a grande incidência de radiação solar. Quando isso ocorre a fruta engrossa a casca como autodefesa, e isso confere sabor e intensidade ao produto final.


O fator mais desafiante deste terroir são as geadas, que podem cair até o mês ded outubro, ou seja, a produção pode ficar comprometida e o risco se extende durante um longo período.


A quantidade produtiva da Serra Catarinense gira em torno de 5 tonaledas / hectare, menos que a metade da produção gaúcha, por exemplo. Sendo assim, o território trate de diversificar e focar na qualidade ao invés da quantidade. Não à toa, vimos diversas vinícolas estilo "piccole produzione" produzindo vinhos de altíssima qualidade e de produção limitada.


Varietais dos vinhos catarinenses


A variedade de uvas vitiviníferas plantadas em Santa Catarina passeia por castas francesas e italianas. Se prepare para tomar vinhos das seguintes castas:

  • Chardonnay

  • Gewürztraminer

  • Sauvignon Blanc

  • Cabernet Franc

  • Caberet Sauvignon

  • Malbec

  • Merlot

  • Nebbiolo

  • Petit Verdot

  • Pinot Noir

  • Sangiovese

  • Syrah

  • Tannat

  • Tempranillo



Terroir: Vinhos de Altitude Catarinense


Algumas vinícolas associadas ao Sebrae/SC requeriram ao Instituto Nacional de Propriedade Intelectual, o INPI, a certificação da Indicação Geográfica (IG) deindicação de procedência para os vinhos de altitude de Santa Catarina.


A previsão é que a safra de 2022 já possa emitir o selo que garante a procedência do vinho engarrafado.


A Indicação Geográfica é um elemento que valoriza a produção local e desenvolve o reconhecimento dos produtos em território nacional e internacional.


11 visualizações0 comentário